Vol. 26 (2010): Número especial 2
Artículos

Húmus de esterco bovino e casca de arroz carbonizada omo substrato para a produção de mudas de boca-de-leão.

Gerusa Pauli Kist Steffen
Departamento de Solos, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, n.1000, CEP: 97105-900, Santa Maria, RS, Brasil. E-mail: ge.pauli@yahoo.com.br
Zaida Inês Antonioll
Departamento de Solos, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, n.1000, CEP: 97105-900, Santa Maria, RS, Brasil. E-mail: ge.pauli@yahoo.com.br
Ricardo Bemfica Steffen
Departamento de Solos, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima, n.1000, CEP: 97105-900, Santa Maria, RS, Brasil. E-mail: ge.pauli@yahoo.com.br
Rogério Bellé
Departamento de Fitotecnia, Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais, Av. Roraima, n.1000, CEP: 97105-900, Santa Maria/RS/Brasil.

Publicado 2010-08-10

Palabras clave

  • Vermicomposto,
  • Antirrhinum majus,
  • minhocultura.

Cómo citar

Kist Steffen, G. P., Antonioll, Z. I., Bemfica Steffen, R., & Bellé, R. (2010). Húmus de esterco bovino e casca de arroz carbonizada omo substrato para a produção de mudas de boca-de-leão. ACTA ZOOLÓGICA MEXICANA (N.S.), 26(2). https://doi.org/10.21829/azm.2010.262899

Resumen

Este trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência de diferentes substratos constituídos à base de casca de arroz carbonizada e húmus de minhoca na produção comercial de mudas de bocade-leão (Antirrhinum majus L.). O experimento foi conduzido em casa de vegetação na Universidade Federal de Santa Maria, RS, no período de setembro a outubro de 2007. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com sete tratamentos e quatro repetições, cada uma constituída por 72 alvéolos. As determinações realizadas nos substratos foram: densidade do substrato, porosidade total, espaço aéreo, água disponível e água remanescente como características físicas e potencial de hidrogênio, teor de macronutrientes e matéria orgânica como características químicas, além da avaliação da consistência do torrão. Nas plantas, foram determinadas: a altura, o número de pares de folhas e a biomassa fresca e seca da parte aérea. A casca de arroz carbonizada e o húmus podem ser utilizados para a constituição de substratos para a produção comercial de mudas, exceto na forma pura. Os maiores valores de massa seca, altura da muda e número de pares de folhas, foram observados nas mudas produzidas nos substratos cuja densidade encontrou-se na faixa de 0,18 a 0,33 g cm-3, sendo que estes mesmos substratos apresentaram os maiores valores de estabilidade do torrão. Concluiu-se que os substratos casca de arroz carbonizada e húmus de minhoca nas proporções de 80% casca de arroz carbonizada e 20% húmus, 60% casca de arroz carbonizada e 40% húmus, 50% casca de arroz carbonizada e 50% húmus e 40% casca de arroz carbonizada e 60% húmus apresentam potencial para serem utilizados para a produção de mudas de boca-de-leão.